quinta-feira, março 01, 2007

em construção

Kinaxixi, fotografia de Kiluanji Kia Henda
Não há grandes histórias, só curtas e alucinantes. Podemos estar aqui como amanhã já ter emigrado ou ter sido assassinado. Tudo é precário, não há tempo para grandes pensamentos sobre a existência, as necessidades são imediatas: arranjar condições para estar vivo.
Uma cidade em construção, vida periclitante no equilíbrio. Que difícil é manter os alicerces...

2 comentários:

amf disse...

regressemos então ao subterrâneo!

Salucombo_Jr. disse...

o pior é que até no subterrâneo muitas vezes somos perceguidos!

e agora, para onde vamos?