quinta-feira, novembro 19, 2009

para o aeroporto de Joanesburgo, 4 da manhã e o sueco

Partilhamos taxi com um miúdo sueco de 20 anos que esteve seis meses a passear por Moçambique à conta do Estado socialista do seu país que acha que os jovens antes de irem para a faculdade devem viajar, pensar na vida, ganhar experiência, pesquisar, ajudar África. Fala de tudo o que viu com uma ingenuidade irritante: Quelimane, Niassa, Ilha, andou à boleia, dormiu numa Igreja, esteve em escolinhas a dar lanche às criancinhas e tão malandras não faziam nada sem receber o lanche e depois agradeciam muito. Ai que giro! Assustadora falta de espírito crítico. A mim já me está a irritar profundamente esta pequena viagem de táxi até ao aeroporto num carro desconjuntado com um motorista do Soweto, simpático mas que mal fala inglês, com um cheiro a gasolina que quase sufoca. Não dá para parar no meio da pista e o sueco às 4 da manhã não se cala com o seu deslumbramento por África. 

1 comentário:

Otávio disse...

Detesto estas pessoas "boazinhas" que reproduzem relações assistencialistas... "Vamos ajudar os coitadinhos". Tem que ter uma paciência...