segunda-feira, fevereiro 09, 2009


O charme dos marginais de Lisboa não desapareceu com a morte de César Monteiro nem se perdeu o verdadeiro linguarejar tão solto. Há uma maneira de permanecer ligado às suas dores e por isso entra na língua que mistura ansiedade e desleixo. 

Sem comentários: