sexta-feira, dezembro 21, 2007

post-mortem

Gosto da ideia de um dia sermos reduzidos (ou dignificados), depois de tantas questões existenciais, à expressão “restos mortais”.

1 comentário:

José Eduardo Lopes disse...

Restos mortais que, em linguagem matemática, dão resto zero. Mas, explicarão os platónicos e catequistas, o que é imortal, a alma, não está lá, voou (não lhes perguntem para onde, que eles ainda não chegaram a consenso).
Um abraço