terça-feira, julho 04, 2006

Internamento

“É tão lindo o meu pântano”, disse ele contente.
Internaram-no um ror de anos por causa disso.
Quando saiu do pavilhão de segurança, segurando as calças azuis-escuras do fato de treino com as mãos trémulas, já dizia: “Não há pântanos”. E quem o via e ouvia assim, acreditava que ele estava a ser sincero. Como as árvores de copa densa quando não assobiam, apesar do vento.

2 comentários:

mood disse...

Texto fantástico...

pedro disse...

de copa densa. ou vergadas em zonas onde se pode evitar o vento. onde os pântanos piu-piu.