sexta-feira, outubro 08, 2010

encontro

Há pouquíssimas pessoas com quem desejaria ficar presa num elevador, retida num aeroporto por causa do vulcão islandês ou ter um encontro improvável numa cidade estrangeira onde por acaso temos tempo para passear cada um a sua solidão.
Mas com uma dessas determinadas pessoas, de quem seria indecoroso dizer o nome, adoraria ter todo o tempo e tédio para: disparatar, aparvalhar, contar fragmentos das respectivas histórias de vida. (Aquele momento em que está tudo tudo tudo por dizer e alguém tem de começar com uma frase, estupidamente determinante. Não saber por onde começar, então comentar sobre a bomba de gasolina, a greve nacional ou falar directo e a despropósito de coisas íntimas e inconfessadas.)
Tenho a certeza que nos íamos divertir muito.
É daquelas pessoas com quem não calhou o encontro, devido a razões misteriosas.
Desencontros que um dia, seguramente, emergem num encontro sério, embora nem sempre o que tinha de acontecer acontece.

2 comentários:

Anónimo disse...

sei do que falas
é como um capital por utilizar, "uma desmesurada hipótese"

Mónica G

beta disse...

para mim, você é uma dessas pessoas.
beijo