sábado, novembro 21, 2009

antónio de xai xai

António tem 12 anos e vende na praia de Xai Xai, litoral moçambicano. Enquanto tira da sacola o que o avô esculpiu em pau preto e sândalo conta que vai à escola da parte da tarde, já sabe falar inglês e corrige o professor, também sabe português e arranha um pouco do afrikaans. O pai morreu, a mãe e irmão estão na África do Sul, o avô em Inhambane. Em Xai Xai vive com uma tia que ganha na venda numa barraca. Ele fala dos boers obsessivamente como se lhes devesse tudo, não gosta muito deles mas um ofereceu-lhe uma bicicleta e já o levou a passear noutras terras. António uma vez conquistou o coração de uma branca chamada Marta. O pai dela foi refilar mas ele tinha a seu favor o facto de ajudá-la muito na escola - a arma do conhecimento. Na praia arrasta-se com um ligeiro coxear da perna direita. Repete várias vezes: “mas eu ainda sou novo. Tudo pode mudar.”

1 comentário:

Otávio disse...

Nada como a esperança da juventude. De termos a ideia de que tudo poderá estar ao alcance das nossas mãos... De que o improvável pode tornar-se realidade, e que somos capazes de tudo, inclusive realizar nossos sonhos impossíveis. Nunca quis ser jogador de futebol, mas mantenho o optimismo e a esperança que caracteriza o "ser jovem". A revolução não é uma utopia!